Parashah 41: Pinchas (Fineias) 25.10-30.1(29.40)

Resumo da Parashahpinchas

A Parashah Pinchas inicia-se com o Eterno recompensando Pinchas pelo seu zelo em virtude de haver aplacado a ira de Adonai como vimos no final da Parashah Balak, fazendo com ele e seus descendentes “uma aliança de shalom”, instituindo à ele e aos seus descendentes, o perpétuo ofício de kohen.
Em seguida vemos o Eterno ordenando a Moshêh e El’azar, o kohen, a realização de recenseamento do povo 20 anos ou mais de acordo com o clã de famílias. Foram contabilizados 601.730, ou seja, 1.820 pessoas a menos do que o censo anterior. Em seguida Moshêh é instruído acerca do procedimento no que concerne a divisão da terra.
Os indivíduos da tribo de Levi contados que tinham entre 1 mês de vida ou mais e que somaram 23 mil pessoas não foram incluídos no censo uma vez que nenhuma terra lhes foi dada por herança em meio ao povo de Ysra-EL.
A Parashah também relata o caso das cinco filhas de Tz’lof’chad da tribo de M’nasheh, e Machlah, No’ah, Hoglah, Milkah Tirzah que apresentaram a Moshêh o seu caso, posto que o pai, já falecido, não havia deixado filhos homens e, desta forma, perguntaram acerca do direito de herança.
Moshêh consultou Adonai sobre o pedido e o Eterno incluiu provisão para que as mulheres recebessem uma herança na terra prometida e, desta forma, instituiu uma halachah acerca do direito de herança para estes casos e outros análogos.
Adonai diz a Moshêh para que suba no Monte Avarim e observe a Terra que estará entregando ao povo de Ysra-EL; Adonai diz a Moshêh que após ele se unirá a seu povo, assim como Aharon foi unido e assim, Moshêh pede que Adonai aponte um líder, uma pessoa capaz para guiar o povo. O Eterno diz que Y’hoshua, “homem espiritual” liderará o povo, ordenando a Moshêh que o ordene no Ofício por meio da semikhah (postura de mãos formada) diante de El’azar, o kohen, e todo o povo de Ysra-EL. Entretanto observamos que Y’hoshua consultaria a vontade do Eterno por meio do urim e não como Moshêh, que o fazia face a face.
A Parashah termina com o Eterno detalhando acerca das leis de korbanot (sacrifícios), tanto para o sacrifício diário (tamid) quanto as ofertas adicionais (musaf) para os dias de Shabat , Yom Tov , Chol Hamoed (dias intermediários de Pesach e Sukkot) e Rosh Chodesh (primeiro dia de cada mês do calendário hebraico , marcado pelo nascimento de uma lua nova).
Da Parashah extraímos o zelo que o Eterno espera dos seus verdadeiros servos. Para isso devemos fazer o que é bom aos olhos de Adonai, e o que é bom aos olhos do Eterno é cumprir a sua Torah Hakedoshah, não por meio do legalismo mas da forma como o Mashiach ensinou: “Se vocês me amam, guardarão meus mandamentos”[Yochanan: 14.15]. Ámen.

Escrito por Ets Uri Ben Avraham (Alex) Judeu Nazareno

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s