Parashah 25: Tzav (Dê esta ordem) 6.1(8)-8.36

Resumo da Parashah

images (1)

A Parashah Tzav continua com o Eterno instruindo Moshêh acerca das leis dos korbanot, contudo, informa outros detalhes adicionais para que se dirigisse diretamente aos kohanim. Estes detalhes eram direcionados a cada um dos cinco tipos de sacrifício: Olah – oferta que sobe ou oferta ascendente; Minchah – oferta de cereais; Shelamim – oferta de paz; Chatat – oferta pelo pecado; Asham – oferta de culpa.
Dentre estes detalhes contidos na Parashah estavam o de que os kohanim assegurarem que o fogo do altar sempre se “mantivesse aceso” e regras adicionais sobre a remoção das cinzas do altar, sobre a porção das ofertas que foram dadas aos sacerdotes e também sobre a limpeza dos utensílios.
Além disto, também observamos na Parashah a proibição de comer gordura e sangue, isto para os sacrifícios que eram para serem comidos.
A carne dos sacrifícios de oferta de paz por agradecimento deveriam ser comidas no dia da oferta e nada deveria sobrar até a manhã. Em se tratando de sacrifício ligado a um voto ou oferta voluntária poderia ser comido no mesmo dia e também no dia seguinte, contudo se houvesse sobra, já para o terceiro dia deveria ser queimado completamente, caso contrário o sacrifício não seria creditado à pessoa ofertante, tornando-se algo repugnante e quem o comesse suportaria as conseqüências de seu erro.
A Parashah termina com a cerimônia de consagração de Aharon e seus filhos como kohanim do Eterno. Moshêh reuniu todo o povo de Ysra-EL a tenda do encontro, lavando Aharon e seus filhos, colocando a túnica sacerdotal em Aharon e seus filhos, ungindo com óleo todo o tabernáculo e tudo que nele havia, bem como sobre o altar, vertendo óleo sobre a cabeça de Aharon consagrando-o.
Aharon e seus filhos então realizam a shemichah (inclinando as mãos sobre a cabeça) de um novilho para chatat (oferta pelo pecado) e Moshêh tomou o sangue e consagrou o altar. Então ele queimou a gordura sobre o altar e levou o resto do animal para ser queimado fora do acampamento. Depois disto Moshêh ofereceu dois carneiros sobre o altar. O primeiro carneiro (cordeiro) foi para Olah (oferta queimada) e o segundo para a consagração ou “ordenação”.
O sangue deste segundo carneiro foi posto na orelha direita e polegar direito do dedão de Aharon e seus filhos. Depois do sacrifício, Moshêh tomou seus órgãos internos e alguns pães ázimos e os pôs nas mãos Aharon e seus filhos e as moveu como uma oferta movida à Adonai, antes de queimá-los sob o altar. Por último Moshêh pegou um pouco do sangue do korban e óleo da unção e aspergiu sobre as vestes dos sacerdotes para santificá-los.
Como crentes em Yeshua nós também fomos ungidos com o sangue do Cordeiro (que é um Carneiro mais jovem) – Yeshua como sendo nosso Kohen Ha Gadol e também ungidos como o sagrado óleo da unção que simbolizava a presença e o aroma do Eterno em nossas vidas. Como servos do Mashiach somos, portando, verdadeiramente “…o povo escolhido, os kohanim do Rei, a nação santa, o povo pertencente ao Eterno! Por quê: Para louvar Aquele que os chamou das trevas para sua maravilhosa luz (1Kefa[Pedro] 2:9.

Amen

Escrito por ETs Uri Ben Avraham

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s