Parashá 4: Va’era (E apareci) 6.2 – 9.35

Resumo da Parashá

images

Resumo da Parashá
Parashá 4: Va’era (E apareci) 6.2 – 9.35
A parashá se inicia com o Eterno falando com Moshê, dizendo que apareceu para Avraham, Ytz’chak e Ya’akov, não lhes tendo revelado o nome, indicando assim desta forma que se encontrava oculto em outra existência, como dizem nossos sábios. Adonay diz a Moshê que ouviu o gemido do povo e que irá libertar os isralelitas, lembrando-se da aliança firmada com nossos Patriarcas e que lhes irá dar a terra prometida, a terra de Kanaan. O Eterno incumbe Moshê e Aharon a irem ao encontro de Faraó e pedir que liberte do povo de Ysrael.
Adonay diz à Moshê que falará com Faraó por meio dele, de Moshê: “Você dirá tudo o que Eu ordenar a você, e Aharon, seu irmão, deve falar ao faraó e dizer-lhe que deixe o povo de Ysra’el sair da terra. 7:2-Sh’mot”. Hashem também diz que caso Faraó não lhe dê ouvidos, que irá manifestar suas maravilhas e trazer Seu Juízo à terra do Egito.
Adonay instrui Moshê a realizar um milagre, caso o faraó quisesse colocá-los à prova, ordenando que fale a Aharon pegar sua vara e lançá-la diante do Faraó para que ela se transforme em uma serpente. E procederam conforme Suas instruções. O faraó chamou seus sábios, feiticeiros e magos e pediu que fizessem o mesmo através de suas magias. Mas a vara de Aharon tragou todas as outras varas e isto enfureceu Faraó, que além disto, teve seu coração mais endurecido ainda, não permitindo o povo de partir. Iniciam-se então as pragas do Egito.
A primeira praga é aquela dirigida contra as “águas do Egito”, na qual houve a transformação das águas do Egito em sangue.
As águas do Egito eram consideradas um deus pelos egípcios, sendo reverenciado como o doador da vida. Há também um deus que rege este fenômeno, chamado de Hapi (Osíris também tinha esta mesma atribuição). Segundo os egípcios o rio alimentava e trazia a vida. Os deuses a que eram vistos como “doadores da vida” no Egito estavam sob o Juízo do Eterno.
A segunda praga é a das rãs. Esta praga, muito embora é repetida pelos magos do faraó, aqueles não são capazes de impedi-la. Nesta o juízo é dirigido contra uma divindade conhecida por Ecte, o deus-rã dos egípcios.
A terceira praga são os piolhos. O juízo é contra o deus Khepra (divindade inseto). O pó da terra do Egito se transforma em piolhos que atinge tanto homens quanto animais mas, diferentemente das outras duas primeiras pragas os magos não puderam reproduzi-la.
A quarta praga são as moscas. O juízo é contra o deus-animal Seth. O Eterno mostra a faraó que faz separação entre seu povo e os egípcios ao impor limites por onde os enxames atacariam, ao revelar que preservaria a terra de Goshem onde está seu povo, local onde não entraria nenhum inseto. Neste encontro faraó roga a Moshê que as moscas sejam retiradas em claro reconhecimento do poder soberano do Eterno em toda a terra, diferentemente de seu primeiro encontro.
A quinta praga foi enviada contra os animais do Egito com uma pestilência gravíssima que levou a morte de todos eles. Nesta o Juízo de Adonay foi contra o deus egípcio Amom, que era conhecido na figura de um carneiro.
A sexta praga foi a das úlceras sobre os homens e sobre o restante do gado do Egito. Esta praga atingiria também o deus Imhotep (deus curandeiro), que não pode conter as úlceras. O interessante é que ela foi espalhada por meio de cinzas do forno, lançada no ar por Moshê na presença do Faraó.
A sétima praga foi a chuva de granizo. Nesta Adonay teve por objetivo destruir as plantações do Egito. O Juízo fora contra a deusa dos egípcios Nute, conhecida como a deusa do céu, que nada pode fazer para impedir o castigo imposto por Adonay. Somente a terra de Goshem não foi atingida.
Nesta parashá o ETERNO nos mostra que Ele próprio, livrou nosso povo do Egito da mãos de Faró, pois “escutou” o gemido de seu povo e lembrou-se da promessa.
Disto extraímos que por mais que venhamos sofrer ou passar por momentos difíceis HASHEM nunca nos abandonará, desde que sejamos fiéis a Ele, pois fomos feitos herdeiros da promessa, presente imerecível nos dados por YESHUA que pela Sua Misericórdia nos enxertou na Oliveira que é Israel. Ainda que não venhamos receber NADA nesta existência sabemos que o ETERNO nos reserva um futuro maravilhoso, nos dias do REI MESSIAS YESHUA.
Que possamos ser fiel ao ETERNO, depositando nossa Emunah, confiança em YESHUA HAMASHIACH, estudando a Torah e cumprindo suas mitzvot com o coração, como nos ensinou Nosso RABBI até seu retorno em tempo próximo. Amén.

Escrito por Ets Uri Ben Avraham.

Anúncios

2 comentários em “Parashá 4: Va’era (E apareci) 6.2 – 9.35

  1. Shalom… Muito boa a explicação sobre as pragas atingindo os egípcios, e mostrando que cada divindade egípcia não passam de ídolos, e não tem nenhum poder diante de El Shaday, Bendito Seja!!! Que o Eterno abençoe Gleidisson! Em Nome de Yeshua haMashiach!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s